João de Lacerda – O Coleccionador Visionário

Exposições > Actuais

João de Lacerda – O Coleccionador Visionário

Tipo Exposição
Exposição temporária
Data
4 Nov 2023
— 19 Mai 2024

No centenário do nascimento de João de Lacerda, o Museu do Caramulo leva a cabo uma exposição comemorativa da extraordinária vida de um dos seus fundadores.

Não é possível compreender a colecção automóvel do Museu do Caramulo sem conhecer um pouco da história do seu fundador.

Enquanto entusiasta, a sua paixão pela velocidade tinha apenas paralelo no apreço pela história do automóvel e dos seus protagonistas.

Desde cedo, o jovem médico especializado em pneumologia se tornou exímio a combinar as suas responsabilidades profissionais com a actividade automobilística.

Foi piloto aos fins-de-semana, em rampas, ralis e circuitos, sempre com automóveis provavelmente demasiado modestos para as suas capacidades de volante.

Participou regularmente em provas míticas como as Mille Miglia e o Rallye de Monte-Carlo, em muitas ocasiões, como único representante português, conseguindo resultados que mostravam o seu talento inato.

Quando as obrigações familiares lhe impuseram outras cautelas, dirigiu o seu entusiasmo para os automóveis antigos. Em 1955, comprou, num impulso, um Ford T abandonado, que restaurou cuidadosamente. Foi o primeiro da futura colecção – a sua – o complemento perfeito para a obra que o seu irmão Abel lhe deixou para concluir. Foi um momento visionário que daria início ao fenómeno do coleccionismo ligado a veículos e à mobilidade, em Portugal.

Os seus feitos deixaram de ser medidos com a bandeira de xadrez, mas a febre da velocidade não abrandou. Nos anos 80 atingiu 208 km/h na Bugatti Type 35B de 1930. Mas era o primeiro a confirmar que nem todas as emoções ao volante se medem no velocímetro. É sua a frase de que pode ser mais emocionante andar a 30 km/h num Peugeot de 1899 do que a 300 km/h num Ferrari F40. Dizia-o com a autoridade de quem pode comparar sensações tão diferentes.

Mas para quem pensa que os veículos da colecção são antiguidades limitadas a serem contempladas pelos visitantes, João de Lacerda deixou mais uma importante lição. Todos os exemplares expostos estão prontos a andar, como quando eram novos. Este era um requisito essencial do fundador e continua a ser um princípio incontornável do espírito do Caramulo.

Talvez seja esse o seu legado mais impressionante. Um veículo realiza-se apenas quando está em movimento. De cada vez que um clássico sai para a estrada, dando felicidade aos seus ocupantes, e também a quem o vê passar, continua a obra de João de Lacerda.

O Museu do Caramulo inaugurou, no dia 4 de Novembro, às 17h, esta exposição que apresenta um conjunto de fotografias de grande formato com alguns dos momentos mais emblemáticos da vida de João de Lacerda, assim como os próprios automóveis com que fez história na competição. Esta estreia coincidiu com o evento O Museu na Rua, e também com a inauguração da exposição “Feito à Mão: Cerâmica Portuguesa de Autor no Séc. XX – Colecção Pedro Moura Carvalho”.